Tecnologia do Blogger.

PrepTober 2019

by - domingo, outubro 20, 2019


Já é outubro, o que significa que falta pouco para o NaNoWriMo. Antes de trocarmos o mês do calendário, algumas coisas que você pode fazer:

(1) Decidir se irá participar do desafio;
(2) Anunciar sua participação;
(3) Criar sua história no site do NaNo;
(4) Fazer uma capa para sua história.

Se você é Panster, sabemos que isso já será o suficiente até a madrugada do dia 01/11. Se você é Planner, apesar de nossa lista não incluir "entrar em pânico", sabemos que é inevitável. Em parceria com o @NaNoBrasil, o Degradê preparou um PrepTober todo pensado naqueles que precisam de planejamento para começar novembro com a corda toda.
O PrepTober consiste em exercícios diários e rápidos para ajudar no planejamento do seu enredo. Os exercícios serão divididos em quatro grupos: universo, personagens, enredo e rotina. A ideia é que cada exercício demore de dez a trinta minutos. Para fazê-los, basta pegar o papel e a caneta. Vamos?


◆◇◆◇◆◇◆◇◆◇


01. Defina sua premissa
O começo de tudo é escolher sobre o que vai escrever. Será seu ponto de partida para todo o planejamento. Neste ponto, não precisa ser nada elaborado. Sobre o que você quer escrever? Fantasia, drama, policial, terror? Você tem um prompt? Você tem uma regra de universo? Você tem um personagem? Escolha seu ponto inicial, anote-o e deixo-o em algum lugar visível. Ele será seu guia durante todo o planejamento.

Utilitários


02. Faça um brainstorm
Lembra da sua premissa de ontem? Com base nela, pense em tudo que você quer que sua trama contenha. Pode ser genérico e não tente ser eloquente. Suas anotações parecerão esquizofrênicas, mas a ideia é colocar no papel todas as suas inspirações, por exemplo: montanha, pinguins, solidão, loucura. Não tenha medo das suas ideias,  por mais mirabolantes e esquisitas que possam parecer. Anote tudo que te inspira, mesmo as coisas mais bobas. Se possível, anote os seguintes temas em separados: personagens, plots e lugares. Você usará essas anotações do brainstorm oportunamente.


03. Defina seu universo
Em qual universo a sua história irá acontecer? Descreva e defina seu espaço-tempo. Pense universo como algo mais abrangente. O que você precisa saber é se sua história irá acontecer no espaço ou na Idade Média.


04. Pesquise
Agora é hora de estudar. Tente aprender um pouco sobre o seu tema. Utilize seu brainstorm e a definição do espaço-tempo da sua história para guiar sua pesquisa. Se sua história é na Idade Média, leia sobre feudalismo, por exemplo. A sua pesquisa pode ser superficial. Você apenas precisa iniciar uma conexão com seu universo. Quando seu enredo estiver completo, você terá noção de quais assuntos precisará estudar mais.


05. Delimite seu universo
Com base nas suas pesquisas, é hora de deixar seu universo mais concreto (seja ele todo criado por você, seja ele baseado na realidade). Liste quais são as cidades, os países e locais incluídas na sua trama. Inclua nas suas anotações eventuais questões culturais, políticas e geográficas envolvidas na sua trama. Se necessário, desenhe mapas. 


06. Delimite as regras de mundo
Há superstições, criaturas místicas, monstros ou máquinas poderosas ou desconhecidas? Há magias ou conhecimentos científicos envolvidos? Há regras que não podem ser quebradas, há lendas ou mesmo histórias que todos conhecem? Descreva-as.
Mesmo que sua história aconteça no momento atual da humanidade, é interessante pensar quais são as regras de mundo da sua sociedade. Lembre-se que mesmo hoje alguns países têm regras sociais distintas.


07. Descreva os locais e os ambientes
Que tipo de ambientação sua história terá? Pegue a lista de locais que fizemos e descreva-os. Se quiser, desenhe-os. Se possível, crie uma pasta no Pinterest com suas referências e inspirações. Vale lembrar que a ambientação é determinante para complementar seu enredo. Uma boa narração faz com que seu leitor saiba exatamente como a cena está - quem e o que está em cada lugar -, então é importante que você também saiba.


08. Faça um esboço de personagens
Com sua ambientação definida, é hora de começar a trabalhar nos seus personagens. Assim como fizemos um brainstorm de ideias nos primeiros dias, agora é hora de fazer um grande esboço dos personagens da sua história. Pense apenas na função de cada um dentro do enredo. Quem é o protagonista? Quem é o antagonista? Quem são os co-protagonistas? Quem são os personagens secundários?
Neste estágio, eles serão superficiais e provavelmente se parecerão entre si, mas não se preocupe com a profundidade deles. Lembre-se também que quando começarmos a trabalhar com enredo, provavelmente novos personagens serão necessários, então foque apenas no núcleo principal.


09. Crie seu protagonista
O protagonista é o personagem com o maior destaque na história. Vamos começar definindo-o fisicamente. Pense em todos os detalhes, como cabelos, olhos, cor de pele, mas não pare aí. Pense se ele tem cicatrizes, tatuagens, marcas de nascença. Se tem problemas de visão ou não. Se é canhoto ou destro. Quais roupas gosta de usar. Imagine que seu protagonista é uma pessoa que você está vendo pela primeira vez. Observe tudo e tome notas. Se possível, desenhe-o.


10. Dê um passado para seu protagonista
Ontem criamos nosso protagonista, mas ele ainda parece apenas um quadro, um desenho. Hora de dar um passado para ele. Pense em como foi a infância do seu personagem. Descreva suas relações familiares. Ele tem traumas? Sofreu algum acidente? Pense em acontecimentos que possam determinar a personalidade do seu personagem ou mesmo sua forma de ver o mundo. Se precisar de ideias, use as características físicas dele como um guia primário. Como as qualidades físicas dele seriam recebidas no círculo social dele?



11. Defina o círculo social do seu protagonista
Descreva o círculo social do seu protagonista. Quem ele conhece, de onde ele conhece e como conhece? Faça sua árvore genealógica e defina seus amigos e conhecidos.
A descrição deste círculo social deve ser resumida para que você tenha um bom "background" do seu personagem. Por exemplo, se você fosse escrever uma história sobre sua vida e tivesse oito tios, talvez não seja relevante para a história ter oito tios, mas você sabe que tem.


12. Dê uma motivação para seu protagonista
Todo personagem precisa querer alguma coisa, o protagonista acima de todos. Será a motivação dele que fará a história andar e determinará a relação dele com os demais personagens.
O que o seu protagonista mais quer na vida? Ser famoso? Reencontrar seu irmão? Viver um romance de cinema? Conhecer o mundo? Use o histórico que criou para dar a motivação para seu personagem.


13. #Timeprotagonista
Agora que já temos seu protagonista, é hora de começar a criar os co-protagonistas. Pegue o caderno e faça um brainstorm para cada personagem. Pense em quem são eles e como eles conheceram o protagonista.
Pense em como eles influenciarão no desenvolvimento do arco de seu protagonista e qual a função deles dentro da trama. Lembre-se de que bons personagens são aqueles que evoluem ao longo da história. Sendo assim, dê motivação e espaço para que eles também possam crescer.
Co-protagonistas são personagens que tem seus próprios arcos desenvolvidos no enredo, como a Hermione Granger e o Rony Weasley, da série Harry Potter. Assim, tente pensar em possíveis interações entre eles e em laços de amizade e sangue.


14. Determine seu antagonista
Antagonista é um obstáculo ou impedimento ao desejo do protagonista. Pode ser pessoa, animal, monstro ou  mesmo algo menos concreto, como uma instituição, um grupo social ou uma limitação física, psicológica, social ou cultural.
A motivação do antagonista também fará a história andar, causando conflitos com o protagonista. Se não souber quem ou o que é seu antagonista, pegue a motivação do seu protagonista e trabalhe nas causas que o impedem de alcançar seus objetivos.
Se seu antagonista for uma pessoa, trabalhe da mesma forma que fizemos com o protagonista. Descreva-o, dê um passado e uma motivação. Mesmo que o antagonista não apareça em nenhuma cena, ele se tornará mais real se você o tratá-lo com a mesma importância do protagonista.

Utilitários


15. Descreva seus personagens secundários
Já temos protagonista, co-protagonistas e antagonista. Chegou a hora de trabalhar um pouco nos demais personagens da sua história. Pegue seu esboço de personagens e crie-os brevemente. Para estes personagens, o histórico pode ser menor, apenas citando o que for relevante para a trama. É legal também anotar qual será a importância deles (mesmo que em apenas uma cena) no desenvolvimento dos protagonistas.
Para dar diversidade aos seus personagens, crie-os lado a lado, comparando suas personalidades. Tente trabalhar com opostos: se tiver um personagem muito tímido, tenha um extrovertido. Se tiver um muito sincero e aberto, faça um misterioso ou mesmo mentiroso. Pense o mesmo para as características físicas. Lembre-se: quanto mais diverso, mais rico seu universo.


16. Determine seu clímax
Também conhecido como ápice, o clímax é o momento em que os personagens enfrentam o desafio final. É o termo determinante do enredo, pois toda a história deve levar seu personagem até ele. É também o momento de transformação do protagonista.
Qual é o seu clímax? Uma batalha? Um beijo? Uma briga? Faça um pequeno esboço com palavras chaves ou mesmo um pequeno resumo da cena.


17. Pense no seu desfecho
Já temos o clímax, agora pensaremos no desfecho, que é a resolução do conflito principal. Qual solução seus personagens encontram para o desafio final? Quais são as consequências do grande confronto? Como isso altera seus personagens?


18. Determine seu lugar comum
O lugar comum é o ponto de partida de seus personagens. Descreva o universo deles no começo da história, o que eles sabem, como é sua rotina, seus interesses. Se tiver dificuldades, pegue seu desfecho e descreva a situação contrária.


19. Resuma sua história em uma frase
Com os pontos principais da trama definidos, é hora de começar a trabalhar no enredo. Usaremos o método do Floco de Neve. Iniciaremos com a construção de uma frase única, que deverá resumir toda a sua trama.
Caso tenha dificuldade, use a seguinte fórmula:
[PERSONAGEM] + [MOTIVAÇÃO] + [CONFLITO] + [DESFECHO]
Tente ser mais conciso possível. Não nomeie personagens. Não se estenda em conflitos. Deixe a frase o mais crua possível. Tenha em mente que, nesse momento, menos é mais. Procure palavras certeiras para demonstrar sobre o que é o livro.
Um exemplo de frase seria:
“Jovem que deseja ser atriz enfrenta a desaprovação de seus pais e consegue o papel dos seus sonhos”


20. Transforme sua frase em um parágrafo
Reescreva sua frase em um parágrafo, descrevendo o enredo da história seguindo a fórmula:
LUGAR COMUM + CATÁSTROFES + FIM
Para as catástrofes, pense em mais de um evento importante para ligar o lugar comum ao fim. Não entenda catástrofes apenas como desastres naturais ou dramas. Entenda como os grandes obstáculos para que o protagonista chegue ao seu objetivo.
O parágrafo ideal deve ter cinco frases:
1. Apresente o pano de fundo e o cenário.
2. Escreva uma frase para cada uma de suas catástrofes. Tente limitá-las a duas ou três.
3. Conte o final.


21. Estruture seu enredo
Pegue o parágrafo do exercício anterior. Para cada frase escreva um parágrafo inteiro, desenvolvendo os conflitos. Todos, com exceção do último, devem terminar em um desastre. O parágrafo final deve contar como a história termina.
Ao final do exercício, você terá um esqueleto (sinopse) de uma página do seu romance. Releio-o e o deixe mais preciso possível. Assim como no exercício da frase única, menos é mais. Pense em formas simples e curtas para descrever seus conflitos.


22. Descreva a jornada dos protagonistas
Escreva uma sinopse de uma página para cada personagem principal. Esta sinopse deve deve contar a história com base no esqueleto do exercício anterior, mas a partir do ponto de vista de cada um desses personagens.
Note que alguns eventos, ainda que presentes no enredo, serão omitidos a depender do ponto de vista. Não tenha medo. Isso será bom para lembrar o que cada personagem sabe e entender como se dará a evolução de cada um deles.


23. Descreva a jornada dos demais personagens
Assim como fizemos ontem, escreva uma sinopse de meia página para os demais personagens, contando a história no ponto de vista. A dica é a mesma: pense tanto em eventos que seus protagonistas estejam presentes quanto em eventos que eles não estejam, mas que afetem a linha narrativa principal. 


24. Faça uma linha do tempo
Releia tudo que criou e faça uma linha do tempo com todos os eventos e conflitos, mesmo os secundários. Não precisa de datas, apenas a ordem dos eventos. Se quiser, marque os eventos mais importantes com destaque.
Ainda que você planeje escrever em primeira pessoa ou terceira pessoa onisciência seletiva e seu protagonista não participe de todos os conflitos, os demais personagens serão afetados, então é importante que você saiba em qual momento cada conflito acontece.

25. Faça uma lista de cenas
Com base na linha do tempo, liste as cenas importantes para o desenvolvimento da trama. Se estiver em dúvida, pegue o esqueleto. Tudo que estiver nele deve ser apresentado em cenas próprias. Entre as cenas principais, crie cenas de ligação.
Para cada uma dessas cenas, faça um pequeno roteiro, seguindo o modelo:

Quem:
Onde:
Resumo:
Consequência:

Se sentir confiante, faça uma marcação nas cenas mais importantes. Grife-as, ressalte-as. Isto ajudará a lembrar qual caminho sua história deve percorrer.



26. Estude
Prometi que voltaríamos a estudar, não prometi? Releia tudo que já criou e marque quais são os tópicos do seu enredo que você ainda não tem conhecimento. Tire o dia para estudar esses temas.
Por exemplo, se seu personagem é pessoa com deficiência e você não tem vivência no tema, procure relatos, converse com alguém que possa te ajudar. Da mesma forma, se seu universo viola alguma lei da ciência, estude-a e entenda como você pode violá-la.


27. Organize sua vida
Nada de criação hoje. O grande dia está quase aí e está na hora de deixar sua criatividade descansar um pouco. Se você ainda não fez, hoje é dia de se organizar para a maratona. Verifique se precisa marcar, remarcar ou mesmo desmarcar algo.
Veja quais dias você não poderá escrever e marque dias que poderá compensar. Passe no mercado, faça compras para o mês... e compre chocolates ou outros doces para se premiar a cada meta batida.

Utilitários


28. Crie uma playlist
Pode ser uma playlist geral - com músicas que te inspirem a escrever - ou você pode ir fundo e criar uma playlist considerando a sua lista de cenas da sua trama, como uma trilha sonora. Ou ainda, criar uma playlist para cada personagem.


29. Leia tudo que já criou
Após uns dias de distância, é hora de dar uma relida no seu esqueleto e ver se há algum furo. Se houver e for possível arrumar, faça-o. Se não souber como, não se preocupe. Anote quais são os problemas do seu enredo e quais alternativas você tem. Deixo-os visíveis durante o NaNoWriMo e quando chegar o momento de escrever as cenas relacionadas, escreva-as apesar dos problemas. Uma solução chegará naturalmente.


30. Respire fundo
Não se canse hoje. Amanhã começa o NaNoWriMo. Se precisar tirar o dia de folga, é até melhor. Longas horas de trabalho estão por vir. Boa sorte!

◆◇◆◇◆◇◆◇◆◇

You May Also Like

0 comentários