Medos

quarta-feira, setembro 05, 2018


  Tenho medo três grandes medos: barulhos, escuro e impossibilidade de fugir.
  Meu medo de barulho está vinculado ao susto que tomo. Não é como se eu tivesse medo de qualquer barulho. É mais a questão de não estar esperando que algo vá acontecer – ou seja, não estar esperando o barulho atravessando meus ouvidos. O inesperado me pega e eu grito. Pronto, esse é meu medo de barulho.
  O de escuro é um pouco mais “sério”. Não sou do tipo que não dorme no escuro. Quando estou em casa, ou mesmo na casa de algum parente ou amigo, durmo tranquilamente. Não acho que nenhum monstro vai sair do meu armário, não acho que tem bicho-papão embaixo da minha cama. Sei que estou segura e o escuro nessas situações não me incomoda.
  O que não gosto do escuro é a insegurança. Medo é uma coisa complicada de se explicar, então vou dar um exemplo para explicar melhor no que consiste meu medo de escuro. Uma vez fui a um daqueles jogos de Escape Room, que consiste em decifrar diversos enigmas dentro e escapar de uma sala trancada em até sessenta minutos.
  A minha trama consistia em achar documentos importantes e sair da sala antes que ela “explodisse”. Não teria explosão nenhuma, isso é fato. Era apenas um jogo. Mas o jogo, a vontade de sair, de vencer, o fato de a sala estar realmente trancada, minha mente imaginativa, a música de suspense que estava tocando, tudo isso me gerou um estado de nervosismo.
  Um estado de querer saber o que iria acontecer.
  Imagina como fiquei quando a luz apagou.
 Entenda, estava em um ambiente controlado e sabia que nada de ruim realmente aconteceria comigo, mas, ainda sim, meu cérebro não tinha consciência do que realmente aconteceria comigo. Consequentemente, fiquei com medo. Muito medo!
  Mas isso também está relacionado a o pior dos três medos: a impossibilidade de fugir. Talvez possa chamar de claustrofobia - mas como não da área, não tenho certeza se esse seria o termo correto. Não é simplesmente estar em um lugar trancado. É estar em um lugar do qual eu não possa fugir com facilidade.
  Exemplo: uma vez fui subir em uma torre e logo nas primeiras curvas (um tempo depois que perdi a porta de vista) a fila para comprar o ingresso parou. Havia pessoas na minha frente e atrás de mim e não havia espaço suficiente para que eu passasse por elas se precisasse. Não preciso nem dizer que comecei a ficar ansiosa...
  O que é peculiar é o fato de que, assim que a fila começou a andar e eu subi lances e lances de escadas que também impediriam minha rápida fuga a ansiedade passou. Talvez pela existência de janelas... O que me levaria pensar que meu problema é com lugar fechado - o que não é de todo verdade, pois tenho a mesma reação de ansiedade quando em aulas de alongamento fico em posições em que não posso me levantar rapidamente.
   Talvez eu somente seja meio louca.




Esse texto faz parte do Projeto 365 Temas.

Leia mais:


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.