Palavras Doces - I



Sua Linda,

Já parou para pensar quão rápido o tempo passa? Parece que nem faz tanto tempo que nos conhecemos, mas já se passaram dez anos. É que nossa amizade é velha e nova ao mesmo tempo. A gente se aproxima e se afasta - se vê muito, se vê pouco - tem fases e fases. No final, o amor é sempre o mesmo.

Esse é o dom da nossa amizade. Não importa quanto tempo fiquemos sem contato, quando nos vemos de novo parece que estamos onde nos deixamos. Voltamos com histórias novas, experiências para contar, mas nada parece mudar o amor que temos.

Confesso que gostaria de participar mais da sua vida - dividir as nossas paixões e sonhos - mas a vida corrida (e às vezes a preguiça também) impede. Não importa, pois sei que vou te levar para sempre no coração.

É que eu gosto da forma com que nossa conversa flui - sobre como nossos gostos são semelhantes e diferentes ao mesmo tempo. Como parece que a gente se completa. É que eu gosto de como é impossível ficar triste com você por perto. Gosto de toda sua energia e sua luz. Qualquer coisa é boa com você. Seja uma pizza, seja uma balada, seja uma peça de teatro. 

Saiba que torço muito pela sua felicidade - e torço ainda mais que eu possa compartilhar dela com você. Saiba que ainda me dói que um dia eu a tenha machucado, ainda que inconscientemente. Mesmo que você tenha dito que está tudo bem, que eu não tive culpa, quero que tenha certeza que jamais te machucaria - e jamais machucarei novamente. Quero tudo de melhor para você. Amo você, doidinha.

Que venham outros dez anos de nós duas.





Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.