Projeto 52x5 - Abril

segunda-feira, abril 30, 2018


Final do mês tem o quê? Tem 52x5!
Abril foi um mês relativamente conturbado... Meu avô faleceu recentemente e muito teve que ser feito nas últimas semanas. Assim, o 52x5 ficou esquecido no instagram, mas não significa que morreu para sempre.
Tive que repensar muitas coisas nesse intervalo de tempo e uma delas foi minha decisão de deixar o 52x5 correndo apenas no blog, com esse resumão no final do mês. Não é exatamente a forma que é proposto o desafio, mas é melhor mudar um pouco para se adequar as minhas necessidades atualmente do que deixar o projeto de lado, não é?

Então, vambora?



◆◇◆◇◆◇◆◇◆◇




Por motivos de #humildade (coffalsacof), não colocarei o Degradê, mas ele é meu preferido, hoje e sempre!

1. Calendário Geek. Ainda que, muitas vezes, eu acabe não indo nos eventos, costumo acessar com frequência para ver o que está rolando - ou qual será o próximo evento de jogos de tabuleiro <3



2. Amor Doce. É, na verdade, um jogo online. Nem lembro quando comecei a jogar. Talvez já faça mais de cinco anos. Hoje em dia, eu raramente jogo para falar a verdade. Mas, né? Tive que colocá-lo na lista. 



3. Pinterest. Quando criei minha conta, anos atrás, eu não tinha a menor ideia de como usar. Sei lá porque criei. No começo desse ano, quando voltei a trabalhar no Degradê com toda força, descobri o Pinterest de verdade - e se tornou meu queridinho, como de todo mundo, né?

4. A.Craft. Eu descobri os prazeres do Bullet Journal e do Lettering. Nas minhas pesquisas pelo mundo das papelarias achei essa loja amorzinho. É minha preferida e eu tenho que tomar cuidado para não gastar todo o meu pobre dinheirinho nela.

5. Skoob. É por onde organizo tudo que leio e que não leio.

◆◇◆◇◆◇◆◇◆◇



Como tudo na internet é rápido e mal informado, recuso-me a dar mais informações e só jogarei a lista aqui.

1. Anonimato

2. Fake news (e pessoas que compartilham sem conferir a veracidade das notícias)

3. Vírus

4. Muita opinião, pouca tolerância

5. Falsa vida perfeita

◆◇◆◇◆◇◆◇◆◇




1. Piadas preconceituosas em geral (machistas, homofóbicas, racistas e tudo o mais). Pelo amor, né? Humor não pode ter preconceito, galere!


2. Bullying. Como alguém que já sofreu bullying, eu tenho convicção que não é nada divertido. Atualmente, convivo em ambientes mais saudáveis, mas ainda me levanto contra qualquer tentativa.

3. Experimentar roupa. Não entendo como tem gente que gosta de ficar experimentando roupa em loja. Eu não tenho paciência, sabe? Não gosto de provador, não sei quem tocou naquela roupa antes... Aquelas luzes são feitas para te enfiar o produto. Como isso pode ser divertido? Prefiro testar as roupas em casa mesmo.

4. Brincar com os sentimentos alheios. Todo mundo já tem problema o suficiente. Ninguém precisa ser mais um. Não se importa tanto assim, deixe claro e não se envolva. Deixa a pessoa achar alguém que vai valorizar os sentimentos dela.

5. [x]

◆◇◆◇◆◇◆◇◆◇


A dificuldade em responder esse tema foi encontrar personagem que eu goste e que a vida valha a pena viver. A maioria dos meus personagens preferidos ou estão ou passam por alguma situação muito extrema - ou seja, difícil quer viver a vida deles por um dia. Por exemplo, quem gostaria de ser acusado de um crime que não cometeu e ver toda sua família e amigos virando as costas para você? Então...

1. Lúcia Pevensie. Como eu gostaria de conhecer Nárnia - e tantos outros universos fantasiosos. Uma pena que eles não existam.

2. Serena van der Woodsen. Quem nunca quis ser a It Girl? A mais amada e mais odiada?

3. Timmy Turner. Quero Padrinhos Mágicos, por favoooor!


4. Sabrina. Ah, que saudades da minha infância. Adorava Sabrina, a Aprendiz de Feiticeira, e sempre quis ter os poderes dela.


5. [x]

◆◇◆◇◆◇◆◇◆◇


1. Meu namorado. Desculpe, ele tinha que vir no começo. Já faz mais de um mês que não o vejo... Ele está lá na Alemanha e eu estou aqui, em casa, pensando que nem sei quando o verei novamente.


2. Jogar vôlei. Quando estava no ensino médio, vôlei era minha vida. Entre treinos, jogos e horas de diversão, jogava vôlei cinco vezes por semana, no mínimo. Foi assim por quatro anos (na minha escola, o ensino médio era de quatro anos, não de três). Quando entrei na faculdade, não consegui conciliar os treinos com os estudos - e não estava tão a vontade com o time novo quanto estivera com o time antigo. Acabei desistindo.


3. Alemanha. Mais especificamente, minha pequena Passau. Fiz intercâmbio por um ano em uma pequena cidade ao sul da Alemanha, na Bavaria - me apaixonei, tanto pela cidade quanto pelo rapaz que hoje é meu namorado.


>> Leia também: Passau



4. Tocar bateria. Eu estudei música por muito tempo da minha vida. Entre todos os que aprendi, o meu instrumento favorito é, de longe, a bateria. Quando fui fazer o intercâmbio, parei as aulas e não voltei. Sinto muita falta mesmo.


5. Cuca. Ela foi minha primeira cachorrinha. Chegou em casa quando eu tinha seis, sete anos, acho. Era uma gracinha. Faz quase três anos atrás que ela se foi. Dois anos atrás, pegamos um cachorro novo, o Nino. Ele é um lindão, mas o amor que sinto por ele (que não é pouco) não substitui a falta que sinto dela.


>> Leia também: Pulguinha


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.