12 cartas em 12 meses - Janeiro



Há alguns dias apresentei o projeto 12 cartas em 12 meses. Hoje é dia de trazer minha primeira carta, em um tema que foi difícil de escrever sem me emocionar, pois aos meu quinze anos eu mudei de escola (tinha passado em uma escola técnica) e tinha muito medo. Não da escola em si, mas do que aconteceria a partir de então. 

Eu nunca tive relacionamento fácil com as pessoas do meu ensino fundamental. Era um alvo fácil de personalidade forte. Não preciso dizer que sofri bastante - e um dos meus maiores medos era que tudo se repetisse.

É um pouco sobre isso que é a carta.

Vamos lá?

◆◇◆◇◆◇◆◇◆◇




15 anos.
Que época mágica, não? Pode não parecer, mas é sim. Esse intermediário entre a infância e a vida adulta tem uma característica muito própria, assim como quem está nessa fase da vida: nem tão criança, nem tão adulto.
É um tempo de mudanças - do corpo, das vontades, dos sonhos, da personalidade. Mudanças por vezes bruscas que nós não notamos, mas que estão lá. No seu caso, a mudança chegou até mesmo na escola.
Mudar é bom – mesmo que dê medo. Eu sei que seu medo é grande; parece tão ruim deixar o mundo que você conhece para trás, com todas as pessoas que te acompanharam nos últimos oito anos do ensino fundamental, mas acredite: em algum momento futuro você perceberá que mudar foi a melhor escolha da sua vida.
Isso porque quando estamos na situação passamos os olhos pelas coisas e não as enxergamos de verdade. Essas pessoas que você tem como o único ciclo social que você tem serão substituídas por outras... Umas melhores, outras piores, mas o que importa é não serão as únicas pessoas que passarão na sua vida.
Muitas pessoas vão passar alguns breves momentos na sua trajetória e depois seguirão seus próprios caminhos – e não há mal algum nisso. Não há mais algum em mudar de melhor amiga, de namorado, de casa. A mudança nunca é ruim, pois a mudança nos traz novas oportunidades, novas experiências – e é só através dessas mudanças, mesmo as pequenas, que podemos realmente conhecer quem somos.
E essa é a característica da adolescência: descobrir quem somos. Ou pelo menos quem queremos ser. Não há certo ou errado. É tão somente uma construção de experiências, que futuramente irão moldar quem você será no futuro.
Não tenha medo de mudar. Não tenha medo de tentar. Não tenha medo de conhecer pessoas novas, lugares novos. Não tenha medo de buscar sem quem você é.
Toda sorte do mundo nessa nova fase.

Luisa Lopes





Veja todas as postagens desse projeto aqui.


Leia a carta do Rabiscando Livros aqui.

2 comentários:

  1. Que carta maravilhosa, há quatro anos atrás eu tinha 15 anos, não faz tanto tempo assim, porém lendo esta sua carta me deu uma grande saudade desta época de descobertas e mudanças.

    livrosrabiscando.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiim. É uma época bem mágica apesar de ser também difícil!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.