O poeta e a pena




Queria escrever sobre ela
Faz tanto tempo
E sempre que tento
Me arrebento

Tento fazer prosa
E não acontece
A construção de frases
Me enlouquece

Não há coesão
Não há talento
E me arrependo
De tudo que penso

Por quê, meu Deus, não faço jus?
Por que a palavra falha
Me conduz?
Por que a definição me escapa?

Só a vejo nessa loucura
Nesse caos indefinível
O Mal consentido
Na multidão invisível

Ela despreza a caneta
E me reduz a pena
Pingando no texto
E arriscando o poema

Ela ri do poeta
E o chama de puta
Transforma o mundo na moeda
Dá minha tortura

O meu grande amor
Está pouco se fodendo para o amor



1 comentários:

  1. Fala sobre quem se ama bem complicado.
    Mas são os poemas mais sinceros.

    Abraços
    www.rimasdopreto.com

    ResponderExcluir

 

Curta

Siga