Amores, Espelhos e Rios




Ouço que o amante é um eterno frustrado, sofredor. Sofre por saber que nunca terá a igualdade e reciprocidade que tanto anseia.
Pode sorrir sem ver o sorriso do outro, pode chorar sozinho, querer em vão, abraçar forte e receber um abraço fraco, segurar uma mão vazia, receber um beijo apático, ouvir um “não”.
O amante quer se ver no ser amado. Não só se identificar, mas muitos também necessitam projetar seu ego no outro.  Muitos amantes buscam ser uma referência para o ser amado, a ponto de que o outro se espelhe nele. Um desejo de certificação. De que suas atitudes estão corretas, seus pensamentos são os mais adequados, suas ideias são as melhores.
Porém, não se ama um espelho, embora nosso desejo seja de total equivalência.
Amar é às vezes precisar quebrar esses espelhos. Saber que eles não existem, que são ilusão.
Para amar bem é necessário não querer se ver em espelhos. Deixar a vaidade e o ego de lado e amar de olhos fechados.
Um espelho é inanimado, sem vida. Reflete exatamente nossa imagem, com nossas imperfeições e tudo mais, espinhas, rugas etc.
Olhe-se em um rio. Seu reflexo não será idêntico, pois o rio tem rumo, tem personalidade, tem características próprias, tem vida. O rio reflete só os nossos pontos principais. Nariz, boca, olhos, o formato do rosto, sem detalhes desnecessários. Às vezes nossa imagem não exata é a mais bonita, porque reflete apenas a nossa essência. Nossas características mais importantes.
Se veja no rio, mas não fique se admirando nele. Não projete seu ego no rio.
Mergulhe, ame o rio. Deixe ele te levar e deixe o amor te levar.


Gostou? Leva um chorinho:

Nem sempre, nem nunca. Mas agora.




1 comentários:

  1. Um vez numa aula na faculdade o professor comentou justamente sobre isso, nós amamos aquilo que projetamos de nós no outro, como se a pessoa fosse um cabide onde depositássemos nossos anseios. Concordo com o que você disse no texto, adorei a conclusão "Mergulhe, ame o rio. Deixe ele te levar e deixe o amor te levar." Só assim pra saber o que é amor de verdade. É o tipo de lição que a gente vai aprendendo e colocando em prática aos poucos.

    Bjs, Tatiana.

    coracaoaflordapele.blogspot.com
    semprovas.blogspot.com

    ResponderExcluir

 

Curta

Siga