Sonho Sem Fim


Quando saiu pela porta me dizendo adeus,
Meus olhos pesaram  
Meu peito machucado, em um momento não escutado pelo silêncio que calava o bater da porta.
Me sentei em nossa cama revi fotografias.
Deixei as lágrimas rolarem como chuva em meu rosto.
Perdido, confuso.
Na madrugada onde o relógio parecia não seguir em frente.
Corri na rua, numa noite de inverno.
Gritei para apagar esse fogo ardente que queimava em meu peito me deixando desse jeito, louco apaixonado por você.
Na neblina você sumia, eu enlouquecia.
Na espera de um reencontro fiquei noites por esperar.
Por algo que nunca mais acontecerá.


0 comentários:

Postar um comentário

 

Curta