Luar




Deixe o horror acabar aqui
Se deixe levar pelo luar
E talvez chegue a sair daqui
E o que houve neste lugar

Das rosas nos campos
Com suas pétalas brancas
Até os verdes prados
Úmidos e nublados

Abandone as flores
Manchadas com o sangue
Daquele que as colhe
E à terra devolve

E assista a tudo morrer;
As rosas secarem;
Os campos se incendiarem;
E a tudo que foi bom, esvanecer.

E amaldiçoe o canto
Do pássaro em pranto
Perguntando-se ao Sol
Se algum dia lhe fez mal

Olhe bem para os fantasmas
Pois sem você, não são nada
Apenas ecos distintos
De vidas passadas

E finalmente, ouça o fogo lhe chamar
Ouça as labaredas no luar
E quando finalmente enlouquecer
Se deixe levar
Para longe de tudo
Para onde chora o mar



0 comentários:

Postar um comentário

 

Curta