Estrelas


Eu me guio pelas estrelas
pela imensidão plana e reluzente do céu
quando, ternas, elas brilham.
Pequenos pontos reluzentes,
talvez diamantes de fogo
na escuridão densa da noite.
São os olhos de alguém
a vigília segura
que me leva para casa
quando sinto o temor assolar-me a alma.
Oh, doces estrelas
que colorem o infinito
como a esperança colore meu céu obscuro
vós ocupais a desolada imensidão.
Estrelas que observam a vida
que anseiam pelo amor
que contam histórias.
Estrelas pequenas
que me fazem crer
num belo amanhecer seguinte
cheio de fé.



0 comentários:

Postar um comentário

 

Curta

Siga