Portas da Percepção: Que Pedras Vêm e Vão




Digamos que esteja certo, e que ela seja mesmo a mulher da sua vida, que ela seja sua alma gêmea e que te complete. Que vocês estejam destinados a ficarem juntos para todo sempre e que sempre estiveram, desde que houve luz e os caminhos foram traçados. Digamos que ele seja mesmo o homem dos seus sonhos. Que vá sempre te tratar bem e que nunca vai andar na sua frente.
  Eu entendo isso. Mas, e agora?
  Você vai mesmo ficar, para sempre, com uma pessoa só? SEMPRE é muito tempo. Mas não tem problema não é? Por que afinal, é a pessoa certa, certo? E você não vai em nenhuma fração de segundo se arrepender dessa decisão, não é mesmo?
  Isso é maravilhoso não? Quase bom demais para ser verdade.
  E é.
  E como você pode fazer isso com você mesmo. Como pode se agarrar tão desesperadamente a tamanha ilusão, que vem iludindo a tantos e condenando a quase todos. Como pode simplesmente ignorar a voz lá no fundo e dizer sim, quando você sabia que teria mais se dissesse não. Você já sabia desde o começo. Só não é divertido pensar nisso, não é? Eu avisei a você, que há muito mais no bater na água nas rochas na praia do que você podia perceber. Eu avisei que as ondas traziam histórias. Que pessoas vêm e vão. Que nada dura pra sempre.
  Que tudo muda. Até as pedras. Agora menos você.




1 comentários:

  1. Ser uma criatura de hábitos arraigados é péssimo. Vivo em guerra comigo mesma, em busca das tais mudanças, mas é duro. Ainda assim vou tentando...

    ResponderExcluir

 

Curta