Mais Uma Vez






"Yes, I do, I believe
That one day I will be, where I was
Right there, right next to you"





Queria ter voz o bastante para te fazer me ouvir - queria ter coragem para dizer tudo que você me fez e faz sentir. Queria mil coisas com você e de você. Queria receber sua mensagem dizendo que está saindo da aula e que em cinco minutos estará na porta da minha casa - queria todas as formas que você inventava para dizer que queria me ver. Queria ser sua namorada, segurar sua mão no meu bolso por estar frio demais do lado de fora, encarar seus olhos e tentar adivinhar se eles estarão verdes ou marrons.

Queria acordar mais uma vez na sua cama - bagunçar os lençóis que você milimetricamente arrumou. Jogá-los no chão com o resto das nossas roupas e dormir nos seus braços com a sua camiseta, que logo se tornou meu pijama. Queria acordar escutando Batman na televisão, pois você só dorme com o barulho dela ligada, e voltar ao sono com seu pedido de desculpas e o carinho de sua mão nas minhas costas.

Queria mais tempo para viver e reviver todos os dias que tive com você, e quanto mais eu penso em como meu corpo reagia ao seu toque, mais eu volto ao calor dos seus braços, onde eu gostaria de ficar, de onde fui obrigada a me retirar.

Dias e noites passaram rápido e eu peguei-me pensando e revirando memórias a algumas manhãs - na manhã em que o jet lag não me permitia mais voltar ao inconsciente, apesar de ainda ser madrugada; na primeira manhã em que acordei sem você.

Minha mente acordou assustada - o relógio marcava um horário diferente do que meu corpo acreditava. Entre a escuridão da manhã que ainda nascia e a confusão de estar sem você, flashbacks de nossos momentos me preencheram, singelos, mas, ainda sim, intensos. Intensos a ponto de serem concretos e confusos ao mesmo tempo - e ainda agora, não os entendo por completo.

Tudo me voltou à mente. Lembranças e sentimentos. O primeiro encontro; nosso passeio embaixo das estrelas; você me acompanhando atém casa; o primeiro beijo; você segurando minha mão. Nossa primeira vez. Cada memória me completando e me transbordando de sua forma.

Entre tantas, principalmente aquela noite não me fugiu da mente - em meio aquele torrencial de sentimentos pelas pessoas que estavam partindo, nós sabíamos que logo seria minha vez de voltar à realidade. Em meio às lagrimas de despedidas alheias, você me pediu em casamento quando eu neguei mais tempo para nós dois. Você sabia, eu sabia, que até casar era mais fácil do que ficar. Mas você queria mais tempo; queria até não ter me conhecido, para só me conhecer no mês seguinte - queria pelo menos mais dois ou três meses, mas nós só tínhamos uma semana.

Queria que a última semana tivesse durado para sempre. Queria, mais especificamente, que aquela noite entrasse no modo replay e eu pudesse reviver tudo que dividimos - os sorrisos, os olhares, os sentimentos, o calor. Queria poder fazer cada um daqueles minutos durarem o infinito.

Queria, mais uma vez, te levar para casa.

Queria, uma última vez, acordar ao seu lado.

Uma última vez...

Queria você.




3 comentários:

  1. Olá,
    Como está?
    Que texto intenso!
    Tão lindo,tão cheio de palavras que me parecem tao sinceras para um fim tão dolorido....
    Amar é ruim né? Disso de querer voltar ao passado mais vezes do que gostaríamos. Mas se queremos voltar ao passado com alguém mostra que nossa vida valeu a pena,pois alguem estar ou esteve ocupando nossos corações.

    Beijos
    Rimas Do Preto

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Adorei o texto, a junção com imagem e vídeo.
    O que mais me surpreendeu em todo o texto foi a forma forte, intensa e simples que você foi á cada linha á mais nos envolvendo. Parabéns!
    http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que saudade de ler os seus textos maravilhosos!!
    Esse foi tão intenso... O sentimento latente... Parabéns, como sempre :)
    Beijos

    Meu Meio Devaneio

    ResponderExcluir

 

Curta