Amélia


Era impossível não olhá-la; no topo da escada, ela fez questão de se demorar, desejando receber a maior quantidade de atenção possível, da qual ninguém a privou; não havia como, seria como ignorar o Sol em um dia de verão; ela brilhava tanto quanto o próprio, ignorando o fato de ser noite. Sob aquela claridade, ela parecia um anjo.

Os cabelos negros como a noite estavam meio presos, apenas para mantê-los longe de seu rosto, mantendo sua formosura, maior que a da invejosa Hera, a vista de todos a qualquer instante; o resto do longo cabelo de breu, liso como o voil dos vestidos que usava, cobria-lhe as costas e um pouco de seus ombros, deixando, no entanto, o colo livre, local onde seu colar estava repousado. Este era de ouro puro, deveria brilhar mais do que tudo naquela sala, mas não chamava tanta atenção quanto o sorriso da jovem; mesmo sendo algo tão comum, parecia ser mais precioso que qualquer outra jóia; os lábios finos e úmidos, pintados em um tom claro do vermelho, revelavam toda a sensualidade que ela possuía.

Tal sorriso preenchia todo o perfeitamente desenhado semblante que, apesar de mordaz, era convidativo, e fazia uma chama de afeição arder por dentro, entrando em contraste perfeito com o olhar de tal moça; os olhos cor de madeira olhavam a sala por completo e pareciam não ver nada, era como se ela olhasse através de tudo e foi no olhar dela que cada um dos homens presentes ficou preso; algo naquele olhar era extremamente misterioso e ao mesmo tempo desafiador, como a mais perigosa das aventuras.

Ela sorria sarcástica enquanto descia a escada, conhecia o efeito que provocava por ser desconhecia, sabia o quanto de atenção receberia com sua entrada triunfal; não sabia, no entanto, que quando ela começou a descer degrau por degrau da escada, quando todos pareciam ter finalmente saído do efeito de transe, ainda estavam hipnotizados pela morena.

A cada passo que deu escada abaixo, majestosa, a moça parecia deslizar em uma pista de patinação, tamanha era a naturalidade e a destreza com que ela andava na frente de tantas pessoas. O corpo oscilava de tal forma que parecia calculada, como um passo de dança, era uma graça que somente ela tinha; algo em seu andar emitia uma onda invisível que acorrentava os orbes de qualquer um. Por onde passava um perfume mais doce que das melhores flores exalava dela, o jeito como andava era encantadoramente viciante; tudo nela era assim.

E a voz... A voz utilizada apenas em sussurros quase inaudíveis domaria qualquer tigre selvagem. Era firme, impunha sua vontade, mas com suavidade; era doce como o açúcar. Como tudo nela, fazia seu espectador pedir por mais.


O longo vestido de seda lilás que usava não escondia nenhuma de suas curvas, apenas as suavizadas; o que mais chamava atenção, ainda que todo o resto também fosse feito pelos mesmos deuses, era o colo nu. Não que o resto não chamasse atenção; o fato era que tal parte estava mais aparente, mais perto dos olhos; o que estava embaixo dos panos, afinal, não importava. A exuberância da moça do jeito que estava era o suficiente para desejar que o tempo parasse para observar perfeição que superava a de Afrodite.


2010
(originalmente publicado em Plusert)

12 comentários:

  1. (FB)
    Texto maravilhoso caramba, parabéns
    http://vaidosascomorgulho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Texto lindo!
    Dá vontade de saber o que vem depois!

    Um beijo,

    http://www.algumasobservacoes.com/

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo seu texto...muito bom. bjs

    FB
    http://rosianesbarros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo seu lindo poema :)

    FB
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que texto lindo! Tens talento! :D queria ter também :(

    FB
    http://relativismoescrito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Adorei a forma que você usou para descrever a personagem. Consegui imaginar perfeitamente a cena.
    Parabéns, muito lindo!

    Beijos

    Meu Meio Devaneio

    ResponderExcluir
  7. Que texto lindo, parabéns!

    "Miss Rary"

    ResponderExcluir
  8. Eu queria ter esse dom de escrever assim sabe? Você escreve SUPER bem. Eu amei, deu vontade de ler mais <3
    http://ironicamentedelicada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Lindo Luisa. Seu texto é um roteiro de amor, onde cada palavra deduz com inteireza todo o magnetismo que a moça causa. Uma presença que pasma, pela imponência, pela sedução tão natural. Bonito sua forma de escrever. Lindo texto. Parabéns!

    Beijo!!

    http://www.elosnohorizonte.com/

    ResponderExcluir
  10. belissimo texto, palavras bem ditas
    é sempre bom ler textos assim...
    bjs

    FB

    http://blognaohesite.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Amo demais seus textos e a forma como eles me envolvem *-*
    É incrível alguém conseguir descrever com tamanha destreza os traços e beleza de uma mulher.
    Parabéns *--------*

    Beijos,

    ser-escritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 

Curta

Siga