Multicolorida em 2013



2013 para mim foi um ano de descobertas e experiências em geral.

Sobre mim, descobri que sou realmente mimada – não sei de onde veio, mas sei que sou. Mas descobri também que sou boa demais para pessoas que não merecem metade do meu esforço. Sobre esforço, descobri que sou uma baita sortuda – se eu contasse só com meu esforço estaria lascada. Ainda bem que o universo manteve o equilíbrio; sou tão sortuda quanto preguiçosa.

Cheguei à conclusão de que sou sincera demais; sequer preciso de algumas doses de tequila para falar aquelas verdades que ninguém diz. É, acho que sou um pouco inconveniente com meus pontos de ironia. Mas não engano ninguém quanto ao que eu sinto. Pena que algumas pessoas simplesmente não estão acostumadas com tamanha verdade.

Só faço pose de durona – a grande verdade é que me assusto com qualquer barulho. Mas sei ser corajosa e lutar pelo que me interessa. E vou até o final, sem fraquejar em um minuto sequer. Eu quero e ponto. E ai vem a menina mimada de novo.

Descobri que sou autêntica – mas, mais do que isso, sou uma pessoa de paixões. Apaixono-me com muita facilidade pelas coisas... Quero saber tudo sobre e me saciar de conhecimento sobre o assunto, e logo depois, quando já o conheço, me desapego com a mesma facilidade e corro atrás de algo novo. Acho que o melhor jeito para me definir seria o gosto pelo desafio. Quando tudo fica no lenga-lenga, eu monto meu cavalo, e vou embora.

Mas sou uma pessoa fiel às pessoas que eu amo. E isso eu já sei desde sempre, infelizmente. Apego-me as pessoas de uma forma, que elas terão o lugar que conquistaram eternamente independente do quanto eu me sinta traída, do quanto eu seja esquecida e relegada a segundo plano. As pessoas que cruzam minha vida escrevem de caneta no meu livro.

Quanto aos meus “livros”, aliás, descobri que sou chata. Passo mais tempo pensando, idealizando, enfeitando, do que realmente escrevendo. Jamais terminarei uma história sequer se não deixar meu perfeccionismo de lado.

De tão perfeccionista, às vezes até esqueço de gostar de mim. Mas aqui está meu melhor aprendizado de todo o ano de 2013. Aprendi a ver minhas qualidades, e também todos os meus defeitos – e aos poucos, descobri que gosto de cada um deles, do jeito que são. No fim de 2013, descobri que de tão perfeccionista que sou, me fiz perfeita para mim mesma.

3 comentários:

  1. Super adorei este relato. Também sou mimada, preguiçosa, um tanto sortuda e sincera demais (ou as pessoas que não estão acostumadas).

    Beijinhos,
    posrealidade.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Que 2013 lindo! Parabéns por tudo e que 2014 seja tão bom quanto (ou melhor!). Meu 2013 não foi tão bom, mas posso trabalhar por um 2014 decente, rsrs.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Nossa amei seu relato, a gente vai descobrindo coisas que nem mesmo nós sabíamos. Espero que seu 2014 seja repleto de sucesso!
    Beijos... Samantha Culceag.
    sopramenores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 

Curta