Quilômetros


Quero deitar, mas não na minha cama e sim no teu colo - ou no que eu imagino que ele seja. Mesmo a essa distância, ele me aquece muito mais que qualquer cobertor. E quero me aninhar ali porque sei que minhas lágrimas vão escorrer a qualquer momento, mas ali, nos teus braços estarei protegida de mim mesma e minha estúpida vontade de ter sempre mais. É isso que eu quero - tudo de você; algo que, infelizmente, não consigo alcançar. E me perco entre meus anseios de te tocar, de me saciar dessa vontade louca de te sentir - e me enlouqueço com a triste realidade de que falta tanto para que esse toque, que eu já sei que sinto, se torne realidade.

Eu te quero - de uma forma tão avassaladora que meu peito não compreende e não aguenta. De uma forma que me transborda de tão completa que me fico - e eu quero mais; não me contento com isso, tudo que tenho de você parece pouco - parece me fazer pedir por mais. Um meio sorriso, e eu quero todo o seu prazer. Não consigo desejar menos - não consigo me satisfazer com o que tenho. E isso me destrói, porque a cada dia parece mais que eu não terei o que quero, mesmo sabendo que estou cada instante mais perto de finalmente te ter.

Não, eu te quero a todo momento - e não quero esperar mais nenhum. Quero poder acordar e te ver do meu lado - te levar aos cantos e escondidos, fugir do mundo e esquecer que existe o tempo. Esquecer de qualquer outra face da vida que não esteja ligada a você - ou melhor, te ligar a todos os pontos da minha existência.

Repito, te quero - e estou aos berros tentando te fazer escutar minha voz, jogando-lhe minhas palavras desesperadas que pedem pelo seu carinho - pela sua retribuição. E sei que ela vem - no seu passo, do seu jeito - ela vem, junto com tudo aquilo que, em meus sonhos, eu já tenho.



0 comentários:

Postar um comentário

 

Curta

Siga